Quando os sinos pararem de tocar (noivo)

Quando os sinos pararem de tocar e as portas se abrirem, sei que vou sentir minhas pernas cambaleando, vou ficar arrepiado mas não vou temer que a emoção tome conta de mim. Quando os sinos pararem de tocar e as portas se abrirem será como se um novo mundo se descortinasse. Tenho certeza que não conseguirei evitar um sorriso. Eis a noiva. Que virá caminhando em minha direção. A mulher que eu escolhi para estar comigo pela eternidade. Seu pai, conduzindo sua menininha para os braços de outro homem. Quanta coisa vai passar pela cabeça dele nesse caminho tão curto… Ela caminha devagar e quase posso ver em seu rosto um misto de emoções, vai estar um pouco trêmula, mas linda… absurdamente linda. A carinha de um anjo, um vestido de noiva que faz com que se pareça com algum ser etéreo, um véu como se fosse a continuação de seus cabelos. Uma princesa!
Quando os sinos pararem de tocar e as portas se abrirem vou observar nossos pais, parentes e amigos tão queridos com olhos só para ela, vou ouvir a música e deixar que essa atmosfera mágica envolva a minha alma.  Quando os sinos pararem de tocar e as portas se abrirem, vou poder tocar a mão da minha noiva, e colocando nela a aliança, vou fazer juras de amor. Não sei vou me lembrar das palavras do celebrante, mas sei que vou estar com um nó na garganta e os olhos mareados. Quando os sinos pararem de tocar e as portas se abrirem novamente, vou ter a certeza que assim termina o primeiro capítulo da nossa história e assim começa o próximo. Enfim, o começo…